Arquivado em:
Meu Trabalho Pelo Acre

13 de jan de 2022

#SigaJorge: Educação com Binho Marques
Jorge Viana e Binho Marques
Com o tema de educação, no programa #SigaJorge, que foi dividido em duas partes, Jorge Viana conversa com o ex-governador Binho Marques. […]

Com o tema de educação, no programa #SigaJorge, que foi dividido em duas partes, Jorge Viana conversa com o ex-governador Binho Marques. Durante o programa os dois contam suas experiências trabalhando para melhorar a educação no Acre e garantir que todos no estado tenham acesso à esse direito fundamental, que pode mudar a vida das pessoas.

 

Professor Binho Marques

Binho Marques é filho de professora, vem de uma família de professores, então a educação sempre esteve presente em sua vida, e se tornou uma paixão para ele. Binho estudou a vida inteira em escola pública e depois de se formar em história, se tornou professor em escola pública.

Um marco na história de Binho junto a educação foi quando trabalhou com Chico Mendes para levar educação aos seringais, em 1981, no projeto Seringueiro, com intuito de alfabetizar os seringueiros. Binho ressalta que o Brasil tem uma grande dívida educacional com seu povo, especialmente porque em locais isolados, a educação não chegava, pelo menos não por meio do poder público. Para que os seringueiros tivessem acesso à alfabetização, foi o próprio Chico Mendes, quem precisou ter essa iniciativa.

Jorge Viana concorda que o governo e prefeituras deveriam ter sido mais presentes, pois o Projeto Seringueiro tinha mais escolas em Xapuri, do que a própria prefeitura da cidade. Porém, ressalta que essa situação também mostra como a sociedade pode fazer a diferença em sua comunidade, independente de ter ou não envolvimento de governantes. Para Jorge, Chico Mendes foi um grande exemplo, por meio de um homem simples, a sociedade de Xapuri, especialmente os povos da floresta tiveram acesso à diversos direitos básicos.

 

Uma revolução na educação de base

No bate papo Jorge Viana conta que quando prefeito convidou Binho para ser secretário de educação do município, e fala como aconteceu a chegada de Binho no cargo. Na época ele estava fora do estado, trabalhando em uma ONG ligada às igrejas católicas e evangélicas, que faziam trabalhos sociais e educacionais, e ele disse a Jorge que só voltaria se fosse para ser secretário de cultura, mas quando Binho chegou, o então prefeito, Jorge Viana, já tinha o nomeado como secretário de educação.

Jorge Viana fala que foi importante não ter vencido em sua primeira eleição, para governo, em 1990. Porque depois disso, Lula o incentivou a ir estudar, buscar conhecimento, se educar na área de gestão pública. Para ele foi fundamental ter esses conhecimentos quando assumiu a prefeitura de Rio Branco, e acredita que todos os gestores deveriam fazer o mesmo.

Binho e Jorge lembram a dificuldade quando assumiram a educação em Rio Branco, porque muitas crianças, que eram filhas de pais analfabetos, nunca tiveram acesso à itens como papel, lápis, caneta, etc. antes, e o primeiro contato com esses itens era na escola, e isso estava dificultando o aprendizado de muitas dessas crianças. Foi então que resolveram focar no ensino infantil, para que as crianças pudessem ter uma base forte de educação, e uma chance de um futuro melhor.

 

Desafios da Educação

Existe um empasse sobre o problema que o Brasil enfrenta na educação… Alguns apontam que é a falta de investimento e outros que é a falta de gestão adequada. Binho acredita que os dois pontos são verdadeiros, e ressalta que o custo médio anual de um aluno da educação básica no Brasil custa em média 3,8 mil dólares, segundo a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), e a média mundial é mais de 10 mil dólares, então para Binho existe sim um subfinanciamento na educação.

Binho ressalta que também existem problemas na gestão que afetam o desenvolvimento educacional do Brasil. E além do que as pessoas acreditam, como a corrupção, que também é um problema, para ele, a falta de um sistema nacional de educação que oriente o que deve ser feito é um dos maiores erros. Segundo o ex-governador, existe um pedaço de sistema, que não está completo, e cada um entra sem saber o que deve ser feito, e inventa uma fórmula para a educação.

O Ex-governador Binho ressalta que para que a educação funcione de forma adequada, com valorização dos professores, focando nos alunos, é fundamental ter um equilíbrio técnico, político e econômico. Dessa forma, segundo ele, foi como conseguiram, quando estavam a frente da educação no Acre, levar o estado à ficar entre as 10 melhores do país.

 

Parte 1:

#sigajorge com Binho Marques parte 1

 

Parte 2:

#SigaJorge - parte 2 (Binho)
Jorge Viana é Acreano, engenheiro florestal e professor de gestão pública no IDP.
Quem Sou
O que Penso
Fale Comigo